Valuation

Como calcular a participação societária do investidor de startups

Por 29 de novembro de 2016 setembro 28th, 2018 No Comments

Participação societária em startups

A participação societária do investidor de startups é o quanto ele adquire de direito da sociedade da empresa pelo investimento realizado. Essa relação é balizada pelo valuation da empresa.

O termo ‘valuation’ é muito utilizado no mundo do venture capital e será bastante abordado em artigos futuros. Mas antes de trazer conceitos mais complexos e correlações pouco intuitivas, é melhor esclarecer alguns pontos. Precisamos alinhar conhecimento e, então, entrarmos em discussões mais divertidas.

O primeiro ponto é: o que é valuation?

Conceito de valuation

Alguns usam o termo como sinônimo para o processo de cálculo do valor de uma empresa enquanto outros usam-no para falar do valor em si. Aqui usaremos sempre o termo como sinônimo para o valor.

Mas calma! Não tire conclusões precipitadas quando ler qualquer informação sobre algum valuation, existem muitas nuances aqui. Tudo será explicado, mas antes: o básico.

Como se calcula a participação do investidor a partir de um determinado valuation?

O cálculo da participação

Partimos da premissa de que a maioria dos aportes de fundos de venture capital ocorrem através do lançamento de novas ações. Assim, temos uma situação em que o dinheiro do investidor se soma ao valor da empresa pré-investimento, ou pre-money. O valor final da soma do investimento mais o pre-money é o post-money.

Isso tudo parece trivial demais, mas a maioria das pessoas que começa a ouvir falar sobre valuation não se dá conta dessa matemática simples.

Bom, agora temos duas opções:

1) Se o valor negociado é o post-money basta dividir o valor investido pelo valor total. Exemplo:

Post-money = R$ 4 milhões

Investimento = R$ 1 milhão

Participação do investidor = 1/4 = 25%

2) Se o valor negociado é o pre-money, você deve somar o valor investido e depois dividir pelo valor total. Exemplo:

Pre-money = R$ 4 milhões

Investimento = R$ 1 milhão

Post-money = 4 + 1 = R$ 5 milhões

Participação do investidor = 1/5 = 20%

A participação do investidor será sempre uma parcela da soma final das partes, nunca do valor da empresa antes do investimento. Sendo assim, como via de regra, em situações com apenas emissão de novas ações, ou seja, cash-in, o empreendedor deve fazer a projeção financeira considerando o investimento. Essa projeção resultará num valuation post-money e numa necessidade de capital, que juntos determinarão a participação do investidor na empresa.

Da mesma forma, fazer as projeções sem considerar o investimento resultará no valuation pre-money. Como vimos acima, deveria ser somado ao recurso investido para chegar ao valor final da empresa. Essa forma de cálculo geralmente resulta em valuations menores por não considerar o potencial de crescimento da empresa com a injeção de capital. O que não é muito interessante do ponto de vista dos fundadores da empresa.

Considerações finais

O assunto é extenso e podem surgir muitas dúvidas: O número diz respeito ao valor que a empresa tem no mercado ou apenas o que é dos acionistas? Inclui ou não o investimento? É o valor percebido ou o valor pago? Quais foram os métodos utilizados para o cálculo? Existe algum desconto a ser aplicado? E dívidas, foram somadas ou subtraídas do valor?

Muito assunto para os próximos artigos.

 

Artigos relacionados:
Como o dinheiro entra em empresas investidas
O erro mais encontrado em projeções financeiras

Deixe um Comentário