Captação de investimento

Como o empreendedor deve avaliar o investidor?

Por 12 de dezembro de 2017 No Comments

Escrevo bastante sobre como investidores pensam e tomam decisões. Sobre como o empreendedor deve organizar uma rodada de investimento e iniciar sua captação de recursos. Pois bem, nesse artigo explorarei como um empreendedor deve selecionar um investidor.

Isso mesmo! Não é só o investidor que deve ter um processo organizado de seleção, mas o empreendedor também tem que selecionar o melhor investidor para sua empresa.

Além de explicar alguns fatores que devem ser levados em consideração, listo algumas perguntas que o empreendedor pode fazer, que não só esclarecerão informações importantes, mas também passarão uma ótima imagem para qualquer investidor que as receber.

1. Alinhamento com a tese de investimento

O primeiro grande alinhamento é o da tese de investimento. Para escolher um investidor que faça sentido para o seu negócio, procure quem está alinhado com o tamanho de empresa, o volume de recursos para investimento e o mercado-alvo. Existem diversos parâmetros em uma tese de investimento que devem ser respeitados. Não faz sentido para o investidor, muito menos para o empreendedor, avançar em um processo de aproximação considerando que, mais cedo ou mais tarde, os desalinhamentos aparecerão.

2. Experiência e competências

Antes de saber o que o investidor pode entregar além do dinheiro, o empreendedor deve se questionar o que ele mesmo quer e/ou precisa além do capital. Geralmente experiência em determinados setores ou competências específicas podem ser muito úteis e transformar a percepção que o empreendedor tem de um investidor. Estruturar a governança corporativa e acelerar a contratação de pessoas, por exemplo, são desafios pelos quais muito poucos empreendedores passaram e nos quais investidores experientes podem ajudar, e muito.

3. Empresas do portfólio

Investigar as empresas do portfólio do investidor é fundamental para entender melhor sua tese de investimento e a flexibilidade de seus parâmetros. Muitas vezes, dentre essas empresas, podem existir concorrentes diretas ou oportunidades de sinergia. Qualquer empreendedor deve fazer esse dever de casa para não causar constrangimentos e saber exatamente como sua empresa se encaixará em um portfólio. Existindo ou não concorrência ou sinergia, o empreendedor deve entrar em contato com outros empreendedores do portfólio para saber, diretamente das pessoas, como é ser sócio deste ou daquele investidor ou fundo de investimento.

4. Investidores dos investidores

Quando falamos de fundos de investimento ou, em alguns casos, grupos de anjos, o interlocutor, que analisa a empresa e negocia o investimento, não é o dono do dinheiro. No caso dos fundos, o investidor mesmo é aquele que comprometeu seu capital e é representado pela gestora do fundo, a empresa de venture capital propriamente dita. Nesses casos, é importante entender quem são esses investidores e como seus interesses podem estar alinhados com os da sua empresa. Na pior das hipóteses eles podem se tornar concorrentes. Na melhor, compradores da sua empresa. Esse alinhamento quase nunca é um item de atenção dos empreendedores que buscam recursos, mas deveria. Em alguns casos, vale a pena considerar um convite a esses investidores como conselheiros estratégicos, já que na sua maioria são profissionais muito experientes com uma ampla rede de contatos.

5. Empatia

Além dos fatores mais objetivos, recomendo fortemente que o empreendedor preste atenção aos fatores subjetivos, como a empatia. Tornar-se sócio de uma pessoa é como um casamento. Existirão muitos desafios, mas a jornada tem que valer a pena. Se você escolher algum sócio investidor que você não suporta, é muito provável que o relacionamento entre vocês atrapalhe a empresa. Então, escolha alguém que você admire, que goste de estar por perto e de pedir conselhos. Do contrário, deixe que cada um siga seu caminho.

6. Respeito ao tempo do empreendedor

Investidores costumam ser profissionais muito requisitados. O volume de tempo que dedicam às oportunidades de investimento no início do processo de análise é pequeno e vai aumentando ao longo do tempo. Mesmo assim, o investidor deve dar valor ao tempo do empreendedor, tanto quanto ao seu próprio.

Investidores profissionais, que sabem o que estão fazendo, dizem NÃO rapidamente. Os amadores enrolam o empreendedor.

Caso ele não tenha tempo para uma reunião presencial, que fale rapidamente. Caso ele não queira seguir o processo de investimento, que comunique o quanto antes. Caso ele marque um compromisso, que o cumpra. Nada justifica que o empreendedor seja iludido ou colocado em modo de espera eterno. O empreendedor deve prestar atenção a esses pequenos sinais de respeito, eles dirão muito sobre o relacionamento com o investidor no futuro.

Perguntas importantes a serem feitas

Quais são todas as etapas do seu processo de investimento?

Aqui é vital que o empreendedor não se engane com o que deve acontecer dali pra frente e tome as rédeas do processo, puxando o investidor e não contrário.

O que será entregue além do recurso financeiro? Como se agrega valor?

Geralmente investidores amadores, iniciantes ou mal-intencionados costumam deslizar na resposta. Fique atento a esses pontos e valide com outras empresas investidas.

Como é o relacionamento com as empresas após o investimento?

Tanto a frequência como a qualidade das interações importam bastante. Procure entender como é essa dinâmica e se ela pode ajudar mais do que atrapalhar as rotinas da sua empresa.

Quais são as exigências/obrigações após o investimento?

Nunca deixe de fazer essa pergunta. Só assim você garante que não será pego de surpresa com os relatórios e prestação de contas que deverão ser feitas após o investimento. Pese se essas exigências estão compatíveis com o momento da sua empresa.

O que aconteceu quando uma das empresas investidas passou por severas dificuldades?

Quando tudo corre bem, de acordo com o planejado, todos ficam muito felizes e o relacionamento não é afetado. Aqui o objetivo é avaliar a postura do investidor quando as coisas não dão certo. É nesse momento de dificuldade que você sabe se pode contar com seus sócios, sejam eles investidores ou não.

Pergunte se o investidor pode entregar o que você precisa além do capital financeiro.

Depois de refletir sobre o que você quer além do dinheiro, questione ao investidor se ele pode entregar e deixe-o convencer disso. Você também pode perguntar, antes de qualquer coisa, tudo o que ele tem para oferecer e, então, decidir o que quer. Mas, cuidado, pois assim pode acabar passando uma imagem de que não sabe por que está captando investimento.

Quais são as métricas de sucesso? O que o investidor quer a longo prazo?

Por fim, entender o que investidor espera do futuro da empresa é essencial para balizar as decisões que vocês tomarão juntos ao longo da caminhada. Se ele quer multiplicar o valor da empresa por 10, você também deve querer. Se ele quer retirar dividendos ou reinvestir tudo para crescer, vocês devem ter essas prioridades muito bem combinadas.

 

Artigos relacionados:
Investidor-anjo e mentor de startups: você sabe a diferença?
Quatro pessoas que você deve conhecer antes de abordar um investidor

Deixe um Comentário